Acerca de mim

terça-feira, 5 de janeiro de 2016

sábado, 26 de dezembro de 2015

FOTO SEM PALAVRAS

Daily Picdump

CLIP VÍDEO

CLIP DE MÚSICA

CLIP PUB

Norwegian Airlines: Next Stop New York

1345
views
0
comments
Last Tuesday commuters in Oslo had an unexpected journey to work. The entire Nationaltheatret metro station had been transformed into bustling Times Square subway station in a campaign to promote Norwegian Airlines low cost, nonstop flights to New York.
Advertising Agency:M&C Saatchi, Stockholm, Sweden

OBJECTO

Luz de mão

You Light Me Up é uma luminária muito legal criada pela designer coreana Ji Won Jun como projeto de graduação. Para fazer o protótipo ela primeiro fez um molde de sua própria mão. Depois, com o auxílio de um scanner 3D e uma impressora 3D, pôde fazer toda a complexa sequência para transformar tudo em uma luminária. Ela funciona com um sensor de toque localizado exatamente na ponta do dedo indicador, criando assim uma simbologia sobre a interação entre homem e objeto. Para este blogueiro que vos escreve, a primeira lembrança que veio à cabeça foi o afresco de Michelangelo, A Criação de Adão, que fica no teto da Capela Sistina. Seja como for, eu gostaria de ter uma destas em casa; curti muito! "Tocantemente legaus"!
Link para o projeto de Ji Won Jun

NOTAS SOLTAS DA NET

“Perder-se também é caminho.” (Clarice Lispector)

the-girl-sitting-under-a-tree_1920x1200.jpg
Em algum momento de nossas vidas, será inevitável adentrarmos alguns dos desvios de caminho que se abrem por entre a nossa jornada. Impossível andarmos corretos, seguindo regras e sendo racionais o tempo todo, pois somos humanos e, portanto, passíveis de falhas , erros, inseguranças e temores. Cedermos às fraquezas será preciso, para que amarguemos as consequências dolorosas dos desacertos e retomemos nosso caminhar mais fortes e sábios, bem como mais seguros quanto à verdade daquilo que queremos para nossas vidas.
Embora haja escolhas por demais nocivas e perigosas, como as drogas, por exemplo, sair do prumo é preciso, no sentido de que o enfrentamento do submundo das escuridões que nos rodeiam e existem também dentro de nós trará a noção exata do que e de quem deveremos evitar e nos aproximar. As certezas podem até trazer segurança, mas carregam-se de mesmice, de comodidade passiva e são incapazes de incitar-nos à reflexão contínua e necessária frente ao mundo circundante. É preciso aprender e reaprender, sempre.
Para que possamos sair de nosso centro emocional e retornar com maiores possibilidades de êxito, necessitamos sempre nos guiar pelas nossas verdades, em sua inteireza, sem dissimulações ou simulacros. Para tanto, não poderemos sucumbir às opiniões contrárias, muitas delas agressivas e violentas, tampouco ao temor diante do desconhecido; caso contrário, ainda que mais tranquilos, estaremos fadados ao tédio nada enriquecedor de uma existência formatada.
É difícil conquistarmos nosso lugar onde estivermos, em casa, no trabalho, na rua, uma vez que a intolerância é a tônica que move a sociedade de hoje e, a partir do momento em que nos dispusermos a transformar o nosso íntimo em tudo o que nos define como pessoa, certamente ouviremos reprimendas e sentiremos a frieza da não aceitação alheia. No entanto, poderemos ter a certeza de que quem e o que permanecer será tudo o que alimentará a nossa felicidade.
Diga o que pensa, viva o que sente, respire o ar da transparência, aja conforme o ritmo dos seus sentidos, ame quem atrai e soma, seja você mesmo, nada menos do que isso. O preço a pagar pelo sufocamento dos sonhos é uma vida vazia, um existir sem pertencer a nada nem a ninguém. Porém, viver as próprias verdades implica o alcance de tudo o que é nosso por direito e merecimento.
Perca-se, mergulhe nas incertezas, amargue a dor da decepção da colheita, ame muito, sempre respirando as esperanças que carrega dentro de si, pois o amor somente nos preencherá quando formos verdadeiros. E então estaremos sendo alguém que errou, mas se tornou mais feliz, mais humano, mais gente

PUBLICIDADE

Center of Women / Frauenzentrale: Domestic Violence



2408
views

0
comments
Every two weeks, a woman in Switzerland dies as a result of domestic violence. This campaign dramatizes this fact in a suprising and simple way: by portraying women with their partners who look exactly the same es well known historic tyrants.
Advertising Agency:Publicis, Zurich, Switzerland
CCO:Thomas Wildberger
Creative Director:Daniel AhrensUrs Schrepfer
Art Director:Daniel Ahrens
Copywriter:Christian Stüdi
Illustrator:Carioca
Photographer:Carioca
Junior Brand Director:Alain Götschi
Art Buyers:Cem Van Der SchaarEliane Stettler
Production:Visualeyes

NESTA SEMANA

Planet Earth From Above 2015

IMAGEM DO DIA

Christmas Trees Around The World

CARTOON


O FILME

SNOOPY E CHARLIE BROWN - PEANUTS: O FILME

Ficha Técnica

Sinopse
Charlie Brown, Snoopy, Lucy, Linus e o restante gang dos “Peanuts” fazem a sua estreia no grande ecrã, numa animação 3D como nunca antes vista. Snoopy, o beagle mais adorável do mundo – e da aviação – embarca na sua maior missão e vai até aos céus perseguir o seu maior inimigo, O Barão Vermelho, enquanto o seu melhor amigo, Charlie Brown, começa a sua própria jornada épica.